segunda-feira, 25 de abril de 2016

Banco de Curriculos da Acic atende expectativa



Tendo em vista o crescente número de pessoas que perdem postos de trabalho, a Associação Comercial e Industrial de Campos disponibilizou desde o início deste mês nas redes sociais e em seu blog na internet, um Banco de Curriculos. Tal iniciativa vem de encontro ao anseio de centenas de pessoas que não sabem para quais empresas enviar seus currículos. Para o presidente da Acic, Amaro Ribeiro Gomes, a iniciativa já apresenta resultados.
- Logo no segundo dia de postagem dos currículos, um dos nossos associados solicitou o envio do currículo completo de cinco pessoas. Isso demonstra que o trabalho executado e a forma pela qual ele vem sendo divulgado, deu certo. Acreditamos que nos próximos dias, outras empresas se interessem pelos candidatos que nos procuram, frisou Amaro.
O currículo apresentado na internet e na rede social Facebook é apenas um resumo textual da experiência do candidato. Ao vislumbrar o texto a empresa pode solicitar o currículo através do e-mail: ascom@acicampos.org.br e uma cópia do currículo completo seguirá para análise da empresa.
- Além da disponibilidade dos currículos na internet, iremos divulgar inúmeras notícias sobre concursos públicos a serem realizados na região sudeste. Com isso firmamos um compromisso de defender os interesses não apenas da classe empresarial mas de todos os campistas também, concluiu Amaro.
Os currículos dos candidatos a uma vaga de empregos podem ser acessados através do endereço eletrônico:

http://blogacicampos-curriculum.blogspot.com.br/.
A Acic veicula notícias de interesse da classe empresarial através de seu blog no endereço: blogacicampos.blogspot.com.br e também em seu perfil no Facebook/acicampos.

Ascom ACIC
Data: 25/04/2016
Foto: Divulgação

Acic lança documentário dos 120 anos na internet



As vésperas de completar 125 anos, a Associação Comercial e Industrial de Campos, Acic, põe na internet um documentário que narra a história de lutas dessa instituição. No vídeo, a história da Acic é narrada paralelamente com os principais acontecimentos da cidade de Campos dos Goytacazes, onde possui sede, e a luta pelo desenvolvimento dessa cidade.
O antigo prédio que destoava na Praça do Santíssimo Salvador por seu estilo, e a transformação em um dos mais modernos edifícios do centro da cidade, Vilmar Rangel pontua a história com os fatos mais relevantes dos últimos presidentes que passaram pela casa.
Para o presidente da atual gestão, Amaro Ribeiro Gomes, o documentário tem alta relevância pelo aprofundamento da história da cidade e da associação.
- A produção deste documentário foi muito feliz, por ter abordado os últimos presidentes que passaram por esta casa. Isso demonstra que a Acic é muito maior do que possamos imaginar, tanto que ela possui uma importância muito grande para a cidade, por ser a 5ª instituição mais antiga do Brasil e a 8ª no mundo, afirmou Amaro.
As lutas empreendidas pela Acic ao longo dos anos também foi bem lembrada por Vilmar Rangel, e pelos presidentes que vivenciaram e ajudaram a construir a história.
De Paulo Viana, que levantou a bandeira dos royalties do petróleo; o soerguimento da Acic perante a comunidade em trabalho incessante feito por Adailto Rangel; a recuperação de mobiliário e da memória da Acic, feita por Geraldo Muylaert; os convênios efetuados por Adão Faria e Demerval Albernaz, e Jamil Queiroz não foram esquecidos.
Segundo o diretor de Comunicação da Acic, Ivanildo Cordeiro, o vídeo vem em boa hora, no momento em que o país se ressente de valores culturais e históricos.
- O vídeo que havia sido produzido por ocasião dos 120 anos, ocorrido em 2011, é agora editado e lançado na internet para que os  amantes da história da cidade e da Acic tenham condições de aumentar seu conhecimento sobre o papel que a Acic fez ao longo desses seus 125 anos, concluiu Cordeiro.
O vídeo já foi postado na página de Videos do Blog da Acic, e pode ser acessado através deste link.

Ascom ACIC
Data: 25/04/2016

Foto: Divulgação

terça-feira, 19 de abril de 2016

Acic cobra do governo pagamento integral para servidores e pensionistas estaduais

O anúncio do governo estadual de parcelar o pagamento de servidores e pensionistas do Estado gerou da Associação Comercial e Industrial de Campos ofício de protesto contra tal situação. A alegação da Acic é a de que todos os impostos e as despesas pessoais de cada família fluminense vence no prazo de 30 dias, e parcelar o pagamento é uma insanidade. Por esta razão o presidente da Associação Comercial e Industrial de Campos, Amaro Ribeiro Gomes enviou ofícios ao Governo do Estado e aos Deputados Estaduais no intuito de clamar que o estado reveja sua posição.
- Não é admissível que o Estado parcele o pagamento de servidores ativos e inativos, uma vez que os impostos e as despesas correntes não podem ser parceladas. É um absurdo o que o Estado está fazendo com os aposentados, pensionistas e servidores da ativa, porque estes são os mais sacrificados, uma vez que, o que ganham é gasto em remédios, alimentação e outras despesas do lar, afirmou Amaro.
Entre as categorias profissionais que estão sem receber ou que terão seus salários parcelados, estão os professores, servidores da educação, policiais civis e militares, bombeiros militares, médicos e servidores da área da saúde, entre outras categorias.
Com o objetivo de arrecadar mais impostos, o Estado criou a Lei nº 7.176/15 e a Acic engrossou o coro junto a outras entidades de classe para que a citada lei não entrasse em vigor até que o Estado e as instituições resolvessem negociar e encontrar um denominador comum.
- Conseguimos uma vitória, que foi a suspensão da Lei nº 7.176/15 assim como mais um prazo para negociarmos o Código Tributário Municipal. A Acic entende que não é com aumento de impostos que o Estado conseguirá arrecadar mais, mas é reduzindo e parcelando esse imposto que os contribuintes terão condições de efetuar seus pagamentos de forma planejada, disse Amaro.
Ascom ACIC
Data: 18/04/2016

Foto: Divulgação

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Acic participa de criação de Conselho de Entidades da Sociedade Civil Organizada


A aprovação do Código Tributário Municipal efetuado pela municipalidade sem que a sociedade civil organizada tivesse sido ouvida, gerou nas entidades um mal estar, tanto que, após algumas reuniões e negociações infrutíferas as entidades representativas da sociedade resolveram se unir para defender os seus interesses tanto na esfera municipal, como estadual e federal.
Representantes de todas as entidades estiveram reunidos na manhã de hoje, na CDL Campos com o intuito de iniciarem um movimento que visa a criação do Conselho Representativo das Entidades da Sociedade Civil Organizada. A reunião foi presidida pelo presidente da CDL, Norival Manhães e contou com a presença da Associação Comercial e Industrial de Campos, Acic, através de seu vice-presidente José Luiz Lobo Escocard e pelo Diretor de Finanças, Gerson Gomes.
A união de todas as entidades dará respaldo e força para que o Conselho consiga almejar pontos importantes no diálogo com o poder público das três esferas de governo.
Alguns representantes reclamaram que não conseguem obter êxito em negociações com o poder público uma vez que tem lutado de forma individual, mas que com a criação deste Conselho tudo irá mudar.
Entre os diversos assuntos abordados na reunião, ficou decidido que a Universidade Estadual do Norte Fluminense terá o apoio do Conselho para que a Uenf consiga sanar seus problemas financeiros. E que o governo estadual seja sensibilizado diante dos inúmeros problemas pelos quais a Uenf vem passando e o risco iminente de ter suas contas de água e energia elétrica cortadas, o que causará grande impacto e prejuízo aos inúmeros projetos que vem sendo desenvolvidos naquela instituição universitária.

Ascom ACIC
Data: 15/04/2016

Foto: Divulgação

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Acic recebe diretor do Sicoob-ES



As notícias sobre a expansão de atividades no Porto do Açu estão atraindo investidores capixabas. Na manhã de hoje, o presidente da Associação Comercial e Industrial de Campos, Acic, Amaro Ribeiro Gomes, o diretor financeiro, Gerson Gomes e o Gerente da Acic, Ricardo Vasconcelos receberam a visita do Gerente de Mercado do Sicoob-ES, Carlos Henrique Bispo dos Santos.
Na pauta da reunião o Sicoob-ES demonstrou interesse em formar parceria com a Acic, e proporcionar aos seus associados, pessoas físicas e jurídicas serviços bancários e creditícios com preços mais baixos do que os praticados pelos bancos.
O presidente da Acic, Amaro Ribeiro Gomes, parabenizou a iniciativa da cooperativa em estabelecer filiais no Estado do Rio de Janeiro e colocou-se à disposição da cooperativa.
- No momento que atravessamos de instabilidade política e de crise econômica, acredito que a instalação do Sicoob-ES em Campos, será fundamental para que o empresário campista tenha mais opções de investimentos e créditos para serem aplicados nos seus negócios, afirmou Amaro.
De acordo com Bispo dos Santos, o Sicoob-ES já estabeleceu algumas filiais na região noroeste fluminense e em Itaperuna. Campos também foi contemplada pelo interesse dos empresários capixabas e cachoeirenses em utilizar o Porto do Açu para exportar um dos seus principais produtos, as rochas ornamentais. O Sicoob-ES será instalado no bairro Pelinca, e sua inauguração deverá ocorrer em maio desse ano.

Ascom ACIC
Data: 14/04/2016

Foto: Divulgação

terça-feira, 12 de abril de 2016

Violência em Campos preocupa diretoria da Acic que reitera necessidade de novo Quartel da PM e aumento do efetivo


Desde o início deste ano, quando realizou uma Audiência Pública para defender a permanência do 56º Batalhão de Infantaria, a Associação Comercial e Industrial de Campos, Acic, também defendeu a ideia da criação de mais um quartel da PM na região, principalmente em Guarus, bairro que tem registrado índices cada vez mais assustadores de violência.
A violência sempre crescente ensejou que a Associação, através de seu presidente, Amaro Ribeiro Gomes enviasse hoje ao Governo do Estado, ao presidente da Alerj, ao Secretário de Segurança e ao Comandante Geral da Polícia Militar, ofícios solicitando e informando as autoridades os motivos pelos quais Guarus necessita ter um quartel da PM.
- Entre os principais motivos está o crescente número de homicídios que ocorrem na margem esquerda do Paraíba. Além disso, vimos através de dados estatísticos que o contingente policial é insignificante para atender uma demanda tão grande de ocorrências policiais, frisou Amaro.
De acordo com os dados levantados pela assessoria de imprensa, a região abrangida pelo efetivo do 8º Batalhão de Polícia Militar, possui 575.375 habitantes, conforme dados estatísticos do Censo 2010 do IBGE. Os municípios atendidos pelo 8º BPM são: Campos dos Goytacazes, São Fidélis, São João da Barra e São Francisco do Itabapoana.
Desse quantitativo, cerca de 37% da população estão localizados na margem esquerda que abrange o bairro de Guarus e os distritos de Morro do Côco, Travessão, Santo Eduardo, Santa Maria e Vila Nova de Campos, além do município de São Francisco do Itabapoana.
- Sabemos que o estado está com dificuldades de caixa para pagar seus servidores, mas independente disso, levamos nossa proposta e solicitação para que, assim que essa crise se dissipar o Estado possa voltar os olhos para a sua população e investir em segurança, saúde e educação, afirmou Amaro.
Os documentos que possuem 5 laudas de motivos apresentam ainda cópias de reportagens veiculadas nos principais jornais da cidade mostrando a onda de violência que vem assustando aos campistas, como também aos fidelenses, sanjoanenses e franciscanos.

Ascom ACIC
Data: 12/04/2016

Foto: Divulgação

Acic inova e disponibiliza informações sobre empregos e banco de currículos

Preocupada com a situação econômica vivida em Campos dos Goytacazes, a Associação Comercial e Industrial de Campos, Acic, inova mais uma vez e já está prestes a disponibilizar através de seu endereço eletrônico na internet e nas redes sociais, informações sobre concursos, empregos e um banco de currículos.
Segundo o presidente da Acic, Amaro Ribeiro Gomes, a iniciativa vem em boa hora uma vez que a gama de pessoas que estão desesperadas procurando emprego é muito grande tanto em Campos como no país.
- A cada dia que passa a quantidade de pessoas que perde seu posto de trabalho aumenta. A Acic coloca um banco de currículos à disposição de todos os seus associados - pessoas jurídicas, para que estas empresas possam dessa forma, contratar uma dessas pessoas que nos deixarem o seu currículo, salientou Amaro.
Um pequeno resumo dos currículos dos pretendentes a um emprego serão postados no endereço eletrônico da Acic (http://blogacicampos.blogspot.com.br), no link ‘Banco de Currículos’, e os mesmos ainda serão enviados para todas as pessoas jurídicas associadas da Acic através de e-mail. As pessoas interessadas em enviar currículos podem fazê-lo através do e-mail: ascom@acicampos.org.br.
- A nossa assessoria irá postar apenas um resumo do currículo do candidato. Caso uma das empresas tenha interesse, nossa assessoria irá então enviar o currículo completo, para que a empresa contate o candidato, informou Amaro.
A Acic também estará divulgando em seu perfil na rede social (Facebook) informações sobre vagas de empregos na região.

Ascom ACIC

Data: 12/04/2016

quarta-feira, 6 de abril de 2016

Entidades comerciais e município negociam acordo sobre impostos



Os representantes das categorias representativas da classe comercial de Campos reuniram-se na manhã de hoje na Secretaria de Fazenda do município. O objetivo foi o de colocar na mesa a contraproposta da categoria comercial e empresarial de Campos com o intuito de diminuir a carga tributária do município.
O presidente da Associação Comercial e Industrial de Campos, Acic, Amaro Ribeiro Gomes e o diretor Financeiro da mesma instituição, Gerson Gomes, além do presidente da CDL, Norival Manhães, da Carjopa, Eduardo Chacur e do Sindicato do Comércio Varejista, Carlos Eduardo Carvalho mostraram aos secretários de Fazenda, Roberto Landes Júnior e do Desenvolvimento Econômico, Orlando Portugal, que os comerciantes estão vivendo no limite, diante da carta tributária imposta pelos governos federal, estadual e agora, municipal.
- O Brasil é um dos países do mundo que possui a maior carga tributária. Os comerciantes já não aguentam mais pagar tantos impostos e o Código Tributário Municipal pela forma como foi aprovado não agrada a nós comerciantes. Por isso viemos apresentar nossa contraproposta de redução do percentual de aumento e se possível conseguir uma carência sobre a cobrança desses impostos, frisou Amaro.
Ao final da reunião, os representantes de todas as entidades assinaram documento comprometendo-se em apresentar suas reivindicações à prefeita do município, Rosinha Garotinho e ao secretário de governo, na próxima segunda-feira, 11 de abril, às 9 horas, em um café comunitário, a ser realizado na CDL.

Ascom ACIC
Data: 06/04/2016

Foto: Divulgação

Câmeras de segurança foram tema de debate em reunião do Conselho Comunitário de Segurança



Como ocorre mensalmente em toda primeira quarta-feira do mês, o Conselho Comunitário de Segurança, reuniu-se na manhã de hoje, na Associação Comercial e Industrial de Campos, Acic.
Ocupando os cargos de Vice-Presidente do Conselho e de Diretor de Comunicação da Acic, Ivanildo Cordeiro presidiu a reunião que contou com a presença do Comandante do 8º BPM, Marco Aurélio Pires Louzada, do Delegado da 134ª Delegacia de Polícia Civil, Geraldo Rangel, entre outras autoridades.
O primeiro debate foi sobre os acontecimentos e ocorrências policiais que aconteceram nos últimos dias, como por exemplo o problema das câmeras de segurança que não colaboraram com as investigações policiais para a captura de um estuprador.
Outros assuntos também foram abordados entre a comunidade e os representantes dos órgãos de segurança. A próxima reunião do Conselho Comunitário de Segurança ocorrerá no dia 4 de maio, às 9 horas, na CDL.

Ascom ACIC
Data: 06/04/2016
Foto: Divulgação


Entidades definem sugestões sobre Código Tributário Municipal

Em reunião realizada na manhã de ontem, o presidente da Associação Comercial e Industrial de Campos, Acic, Amaro Ribeiro Gomes, e os presidentes da CDL, Norival Manhães e do Sindicato do Comércio Varejista, Carlos Eduardo Carvalho, iniciaram entendimento e definiram algumas reivindicações a serem levadas para o secretário de Fazenda, Roberto Landes e o secretário de Desenvolvimento Econômico, Orlando Portugal e à prefeita Rosinha Garotinho.
Os três representantes avaliaram a proposta efetuada pela municipalidade e colocarão suas reivindicações na mesa de negociação.
- Elaboramos alguns pontos a serem apresentados à municipalidade com o objetivo de negociar da melhor forma possível uma redução nos impostos cobrados pela municipalidade em cima do Código Tributário, sancionado recentemente, afirmou Amaro.
 O Código Tributário Municipal, aprovado pela Câmara Municipal, e que apresenta 534 páginas, não foi apresentado às categorias representativas da classe comercial e essa foi uma das queixas dos comerciantes. Além disso, o novo Código Tributário apresenta alguns pontos que também foram de alvo de queixas dos comerciantes como o aumento de 100% na tarifa de alguns impostos.

Ascom ACIC
Data: 05/04/2016

Foto: Divulgação

Sebrae Moda Negócios irá agitar o comércio de Campos


O presidente da Associação Comercial e Industrial de Campos, Acic, Amaro Ribeiro Gomes, recebeu na manhã de ontem, os presidentes da CDL Campos, Norival Manhães, do Sindicato do Comércio Varejista, Carlos Eduardo Carvalho e o Superintendente do Sebrae em Campos, Gilberto Soares, para uma reunião, com o intuito de traçar estratégias para o “Sebrae Moda Negócios”.
A palestra foi ministrada por uma das consultoras do Sebrae, que delineou quais serão as estratégias a serem adotadas para incrementar o comércio ligado à moda em Campos.

Ascom ACIC
Data: 05/04/2016

Foto: Divulgação

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Situação caótica da Uenf preocupa diretoria da Acic

As notícias veiculadas na imprensa de Campos, sobre a situação de crise econômica vivida pela Universidade Estadual do Norte Fluminense, Uenf, têm preocupado os diretores da Associação Comercial e Industrial de Campos, Acic. Tanto que nesta semana, o presidente da Acic, endereçou oficio ao Governador do Estado, Luiz Fernando de Souza “Pezão”, e ao Presidente da Assembleia Legislativa do Estado, Jorge Picciani, solicitando maior empenho do Governo do Estado dada a importância que a Uenf tem para o desenvolvimento sustentável e econômico de Campos.
O presidente da Acic, Amaro Ribeiro Gomes, reiterou sua preocupação ao afirmar que seria um retrocesso do estado, deixar a Uenf fechar.
- É inadmissível que o Estado queira encerrar as atividades da Uenf em Campos, pois a instituição traz inúmeros benefícios para a economia campista, tanto através das pesquisas que ali são realizadas, como também, na economia local, asseverou Amaro.
Segundo Amaro, as pesquisas e os estudos efetuados através dos mais diferentes laboratórios instalados na Uenf possuem relevância, uma vez que tais estudos são aplicados na prática no setor agropecuário de Campos. Ele acrescentou ainda, que por outro lado, os professores e estudantes também injetam recursos no município através do aluguel de imóveis, gastos com transportes, alimentação, serviços, etc.
- No que depender da Acic, estaremos envidando todos os esforços para unir forças e defender a Uenf contra essa situação que a instituição vem passando, concluiu Amaro.

Ascom ACIC
Data: 01/04/2016

Foto: Divulgação

Acic defende comerciantes em código tributário estadual e municipal

Sempre presente na luta em defesa dos interesses da classe comercial e empresarial de Campos, a Associação Comercial e Industrial de Campos, Acic, endereçou ao Governo do Estado e à Assembleia Legislativa ofícios sugerindo que o Estado reveja a aplicabilidade da Lei 7.176/15, relativa ao Código Tributário que institui taxa única de serviços tributários da Receita Estadual a ser cobrada trimestralmente.
De acordo com o presidente da Acic, Amaro Ribeiro Gomes, a lei 7.176/15 é inconstitucional e apresentou seus fatores.
- A lei é inconstitucional porque aumenta a carga tributária sobre serviços. O empresário já não suporta pagar tantos impostos, com isso muitas empresas estão fechando suas portas, como temos visto em Campos, no Rio de Janeiro e no País, afirmou Amaro.
Amaro acrescenta que não foram apenas as micros e pequenas empresas que fecharam suas portas, mas as médias e grandes empresas. A queda no volume de vendas, também afetou a economia porque o número de postos de trabalho foram fechados causando o desemprego.
Questionado sobre o fato do estado querer aumentar a carga de impostos para suprir a queda na receita, Amaro foi taxativo.
- Na atual conjuntura econômica, o estado não conseguirá aumentar a receita por alguns motivos. Um deles é “como arrecadar mais, se as fontes estão se esgotando?”. É preciso haver um choque na administração, cortar na carne os excessos e acabar com as benesses, frisou.
Para o empresário e diretor de Comunicação da Acic, Ivanildo Cordeiro, essa lei se não for revogada representará o fechamento de muitas empresas em pouco tempo.
- Se essa lei não for revogada, ela causará o enfraquecimento da economia estadual. A equipe econômica do Governo do Estado está completamente equivocada, quando imagina que o aumento da carga tributária, irá compensar a queda da receita. Penso que o governo deveria fazer o inverso, igual ao comerciante que vê a queda no volume de vendas, reduzir os preços para vender mais. Com isso, o Governo do Estado deveria baixar as alíquotas e parcelar todos os débitos existentes de empresas e cidadãos em até 180 meses. Porque somente com a recuperação das micro e pequenas empresas, a economia reagirá rapidamente e o estado voltará a ter aumento na arrecadação de impostos.
Cordeiro lembrou que a Lei nº 7.176/15 foi aprovada nos últimos momentos de 2015.
- Quando a Assembleia estava sob a euforia de final de ano e iniciava seu recesso parlamentar. Certamente pela correria do curto tempo, muitos deputados não deram a devida atenção sobre o teor da Lei, acrescentou Ivanildo.
Já o empresário Leonardo Abreu avaliou que o aumento da carga tributária e a aprovação do Código Tributário estadual é o reflexo de má gestão pública.
- Em um país com credibilidade, e onde os impostos são bem aplicados, o contribuinte paga com prazer, mesmo se houver uma redução de tributação, a arrecadação aumenta, asseverou Abreu.
Leonardo asseverou ainda que “neste momento, onde nosso país atravessa uma crise política e econômica, mesmo com o aumento de impostos, a arrecadação diminui, pois aumenta a inadimplência e causa o fechamento de empresas”.
Liminar – Apesar da Federação do Comércio e a Firjan terem questionado a legalidade da Lei 7.176/15 no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, foi a Federação das Associações Comerciais do Estado do Rio de Janeiro, Facerj quem conseguiu uma liminar com efeito suspensivo e cautelar para que a citada lei não entrasse em vigor.
Acrescente-se ainda que foi a 11ª Vara da Fazenda Pública do Rio de Janeiro quem concedeu uma liminar proibindo o Governo do Estado de cobrar a Taxa Única de Serviços Tributários, criada no final do ano passado através da promulgação da Lei nº 7.176. O tributo destina-se a todos os contribuintes do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços e que passou a valer desde o último dia 28 de março.
De acordo com os advogados que moveram a ação contra o estado, “os serviços na Secretaria da Fazenda são cobrados individualmente. Ele exemplifica com a taxa que o contribuinte precisa protocolar em sua defesa, em um processo administrativo ou que, necessita emitir um documento como a nota fiscal. Para o escritório de advocacia, a lei mudou essa sistemática e estabeleceu uma cobrança trimestral para as empresas, independentemente da contraprestação ou não do serviço. Para o advogado, a alteração é inconstitucional. “Uma empresa que usa o serviço apenas duas vezes vai pagar o mesmo valor que outra que utiliza o serviço 20 vezes. Há uma ofensa ao princípio da isonomia”.
O juiz compreendeu que a lei é prejudicial ao contribuinte uma vez que a norma prevê multa de 30% do valor da taxa para quem não a recolher.
Campos – Em Campos a Acic e outras entidades representativas da classe empresarial e comercial como CDL Campos, Sindicato do Comércio Varejista e Carjopa, já estão em entendimentos com a municipalidade com o intuito de revisar o novo Código Tributário Municipal aprovado recentemente pela Câmara Municipal. A aprovação da lei, efetuada em sessão polêmica, causou desconforto para a classe empresarial que alegou insensibilidade do poder publico municipal em não ter dialogado com as entidades representativas.
Na próxima terça-feira, 5 de abril, às 19 horas, os representantes das entidades, irão se reunir no Edifício Ninho das Águias, para avaliar a proposta do município e apresentar a resposta na quarta-feira, pela manhã, junto à Secretaria Municipal de Fazenda.

Ascom ACIC
Data: 01/04/2016
Foto: Divulgação